Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: O diálogo possível.

Araújo, C. A. A. (2014). Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: O diálogo possível. São Paulo: ABRAINFO.

Fonte: Briquet de Lemos.

Fonte: Briquet de Lemos.

Carlos Alberto Ávila Araújo é professor na Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, com um percurso académico entre o jornalismo e a comunicação social, acabando por convergir para a epistemologia da ciência da informação e para a articulação desta com as ciências patrimoniais (arquivística, biblioteconomia e museologia). Nos últimos anos, tem vindo a publicar artigos que, de alguma forma, anunciavam ou prenunciavam a obra de fundo que acaba de ser publicada pela Associação Brasileira de Profissionais da Informação (ABRAINFO), com o título Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: O diálogo possível.

Esta é a quase eterna magnum opus dos investigadores nestas áreas: encontrar os pontos de correspondência e transversalidade entre as disciplinas, sem incorrer no risco de valorizar as pragmáticas metodológicas de uma sobre as outras. Como se lê no prefácio, com autoria de Oswaldo Francisco de Almeida Júnior:

“Os objetos ou os núcleos do objeto não impedem a relação. Ao contrário, exigem a troca, o diálogo. As áreas de interesse do livro precisam uma das outras. A existência isolada pode até ser possível, mas acarretando empobrecimento teórico e prático; um olhar apenas para o próprio âmago, alijando-se do mundo, dos homens e das outras ciências; um não pertencimento ao universo do conhecimento humano.”

De resto a confluência entre as várias áreas é definido à partida, através da análise das respetivas diacronias, como fundamento para as teorias epistemológicas subjacente a cada uma. Porém, é inevitável o reconhecimento dos diferentes ritmos de adesão à ciência da informação – mais rápida no que se refere à biblioteconomia, seguida pela arquivística, mas mais tardia no que se refere à museologia –  mas cujas disparidades são resolvidas nas pistas de atuação apresentadas no capítulo 3, intitulado “A proposta de aproximação entre as áreas”. Um  objetivo a merecer a atenção e o esforço de todos os investigadores e profissionais envolvidos em projetos de informação em bibliotecas, arquivos e museus.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s